Chegada eletrizante entre Diable Au Corps e Tomajo Dancer, no Grande Prêmio Bento Magalhães de 1994.

Com uma chegada daquelas de tirar o fôlego entre os animais Diable Au Corps, conduzido por Nelito Cunha e TomaJo Dancer, com L. Duarte no dorso, fez o grande o público vibrar intensamente na decisão do Bentão de 1994. Na partida o jóquei de Mafiozissimo , F. Benone caiu ficando o animal sem jóquei durante todo o percurso gerando um clima de instabilidade para os demais concorrente. Ujet Larck, do Stud Internacional, um dos favoritos do páreo tomou a dianteira com Narduck fazendo corrida de faixa para Diable Au Corps corria em segundo.

Na altura dos 1.300 metros finais, Diable Au Corps tomou a ponta e daí pra frente foi o dono da corrida. Nos metros finais, Tomajo Dancder avançou junto a cerca interna e os dois travaram uma acirrada luta até os metros finais levando o público ao delírio.

Diable Au Corps, um filho de Heri Le Balafre (FR) e Seiva, sagrou-se bicampeão da maior prova do turfe nordestino. Treinado por M.Ferreira, Duiable Au Corps era de propriedade do Stud Irmãos Pereira. O tempo dos 2.400 metros foi de 158.4s.

Chagada eletrizante do Bentão 1994.

Os titulares e admiradores da farda do Stud Irmãos Pereira comemorando a segunda vitória de Diable Au Corps no Grande Prêmio Bento Magalhães.

Vale apena recordar mais um grande momento do turfe pernambucano.

Postada em Notícias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *