M.Oliveira. A volta por cima!

quarta-feira, 23/10/2019 | Autor: admin-jockey

Por Chico Mendonça.

No próximo domingo na disputa da 51º Edição do Grande Prêmio Bento Magalhães, estará em ação alguns dos melhores jóqueis do turfe brasileiro. V.S.Paiva, Anderson Paiva, Alan Maciel e um especial, Michalsuel Paixão de Oliveira. M.Oliveira, 28 anos, pernambucano iniciou nas corridas de pôneis e é considerado um dos melhores jóqueis do turfe brasileiro. Tho, como é conhecido nos bastidores do turfe, vai para mais uma disputa da maior prova do turfe nordestino. Porém durante toda a sua preparação para chegar aos 56 quilos, passa na cabeça à tarde de 22 de dezembro de 2013, na disputa do 43º Grande Prêmio Bento Magalhães.

Uma tarde que poderia ser de alegria e consagração para um jovem  prata da casa que montava um dos animais cotados para vencer a magna prova, a principal da programação, M.Oliveira foi uma aposta certa feita pelo treinador M.Ferreira  responsável pelo  treinamento de Ifigenio, mas  tinha um ligeiro problema,  peso. O jóquei estava com mais de 59,7 quilos, o que impedia de montar um grande prêmio ou um páreo comum em qualquer hipódromo do país.

Com a ajuda do Personal Trainer, Thiago Borges, M.Oliveira  consegue baixar o peso para 57 quilos e a recompensa pelo seu esforço foi a esmagadora vitória no grande prêmio Edisio Pereira, 30 dias antes do Bentão.  Às 17h10min do dia 22 de dezembro de 2013 foi dada a partida para o 43º grande prêmio Bento Magalhães. Ifigenio toma a ponta, mas longo, é ultrapassado por Take The Money que abre vários corpos de vantagem. Depois vem Vuoli Sold, em terceiro, Stockholder , em quarto e e Tank Boy fechando o pelotão na última colocação. Nos 800 metros finais Ifigenio assume aponta e vem firme para levar o Bentão 2013. Até aí tudo bem para Ifigenio e o jóquei M.Oliveira, mas foi na reta final que tinha tudo para ser a consagração, veio a decepção. Depois de uma reta final disputada mano a mano até o disco final. Veio a desclassificação de Ifigenio.

Na reta final, o cavalo Tank Boy vem pelo centro da pista e desgarra para junto de Ifigenio que corria pela cerca de fora. Os dois chegaram a se chocar e no final houve reclamação dos proprietários de Tank Boy. A Comissão de Corridas analisando o filme da corrida o que hoje é o WAR, no futebol , decidiu pela desclassificação de Ifigenio. O resultado foi  revolta, choro e muita decepção do jóquei M.Oliveira, do treinador M.Ferreira e dos proprietários de Ifigenio.

Seis anos se passaram e nesse período M.Oliveira parou de montar chegando ao peso de 63 quilos, o que não lhe permitiria montar em nenhum hipódromo do Brasil. Mais madurecido com 28 anos e muita dedicação para chegar aos  56 quilos ele no próximo sábado, estará no dorso de um dos favoritos do páreo, No Ar. Animal de excelente qualidade, um dos melhores arenáticos do turfe brasileiro que irá defender a fada do novo proprietário, Stud Leônidas-Lula-Lulinha & Luiz Neto, vencedor do grande prêmio Manoel Medeiros na distância de 2000 mil metros, No Ar aos sete anos vai correr sua distância preferida, 2.400 metros. Um animal difícil de ser batido nessa distância. E por coincidência sabe quem é seu treinador? W.Maciel, o mesmo que treinou Tank Boy em 2013. Perguntado se isso poderia influir na corrida M.Oliveira respondeu que não. Foi chato o que aconteceu, achei que fui injustiçado, mas são coisas que acontece no turfe, futebol ou em qualquer outro esporte. No dia seguinte da corrida fui à casa de Maciel e pedi desculpas pelas palavras do dia anterior e nunca deixamos de ser amigo.

Fizemos outra pergunta para o jóquei. – Você acredita que um raio pode cair duas vezes no mesmo lugar? Não quero nem pensar nessa possibilidade. Quero fazer uma boa corrida com tranquilidade, sem prejudicar ninguém e também não ser prejudicado. Vamos pra cima, vamos seja o que Deus quiser!

M.Oliveira e No Ar. Preparados para o grande dia!

 

 

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *